Lucro trimestral do Banco do Brasil, de R$ 3,4 bi, supera as previsões

Engana-se redondamente quem prevê ou quem antes previa, de forma pessimista, algum tipo de fracasso para o Banco do Brasil, na situação presente e de curto prazo, em questão de Economia. E isso podemos afirmar com base no que foi divulgado pela referida instituição bancária, no dia 8 de novembro deste ano, 2018. Afinal, ficou o lucro do seu terceiro trimestre de acordo com aquela linha prevista pelos mais notórios analistas. Não obstante, o próprio banco acabou por prever uma maior queda na sua margem financeira bruta, no ano atual, dado a perceptível queda no crescimento do crédito que ele teve, nos últimos tempos.

tratando-se, desta vez, do lucro líquido recorrente, aquele que desconsidera, para a sua mensuração, os itens extraordinários, este ficou em R$ 3,402 bilhões. Um valor, diga-se, que está 25,6% acima do resultado obtido no mesmo período anterior, e, além disso, também 2% superior ao que havia sido estimado no compilado feito pela Refinitiv, ou seja, uns R$ 3,334 bilhões de lucro líquido recorrente. É óbvio que houve uma ajuda, para este resultado, por parte da queda ocorrida nas provisões para empréstimos duvidosos. Outros resultados, porém, pouco ou nada mudaram para o Banco do Brasil, no trimestre em questão, a exemplo da carteira de crédito ampliada, a qual permaneceu praticamente estável, posto que atingiu R$ 686,3 bilhões.

Um outra previsão do BB para o ano, e que vale ser citada, é a de uma provável queda na margem financeira bruta. Nesse caso, frente à previsão feita anteriormente, de que haveria uma estabilidade à queda de até 5%, desta vez, apostam em uma maior queda, que beire entre 6,5% e 5%.

Lembremos uma fala do diretor financeiro, Bernardo Rothe, meses antes, mais precisamente em agosto: à ocasião, Rothe afirmou que haveria uma retomada do crescimento da margem financeira bruta, durante o ano posterior, 2019. Será que isso se concretizará de fato? Só podemos aguardar e verificar os indícios, mas, se quisermos tratar de algo mais material, foquemos então no índice de inadimplência de 90 dias desse mesmo banco. Pois bem, houve uma diminuição em tal índice, em 0,5 ponto percentual no trimestre, assim chegando-se aos 2,83%. E tal resultado veio junto à subida que teve o retorno sobre o patrimônio líquido do banco, também de 0,5 ponto percentual, considerando-se o trimestre anterior. Nesse caso, subindo para 14,3%, o retorno sobre o patrimônio líquido, nota-se, acabou por também superar uma estimativa do Refinitiv, que apostava em apenas 13,1%.

Flavio Maluf’s Realizações profissionais

 

Flavio Maluf é um homem de negócios reconhecido que estudou na Fundação Armando Alvares Penteado, onde se formou em Engenharia Mecânica. Flávio tinha um histórico que apoiava o fato de que seus pais eram ricos, especialmente seu pai, que era político e ainda um homem de negócios. Flávio não considerou isso como um meio de sobrevivência, mas decidiu estabelecer seus empreendimentos, embora fossem ricos.

 

Flavio Maluf havia se interessado por negócios e decidiu seguir um curso de negócios, embora também tivesse se formado em engenharia. Depois de ganhar algumas habilidades necessárias em marketing, Flavio assumiu e se tornou o líder de seus negócios familiares. Como um conselho para outras pessoas que buscam ingressar no mundo dos negócios, Flavio diz que os indivíduos devem abordar os negócios com cautela. Visite dino.com para saber mais

 

Ele afirma ainda que muitas pessoas pensam em possuir um negócio, e esperam trabalhar menos e ganhar mais, mas esse não é o caso. Todos os envolvidos na empresa devem participar ativamente do mercado para crescer e se tornar bem sucedido. A quantidade de capital necessária também é uma preocupação significativa, mas isso não deve ser um problema, porque há uma existência de muitos empreendimentos por aí que não exigem uma quantidade significativa de capital para começar.

 

Flavio Maluf iniciou sua própria empresa, que se chamava Eucatex . Pegou emprestada a idéia de começar o empreendimento com seu bisavô que tinha uma serraria. A empresa usa principalmente eucaliptos, daí o nome Eucatex. A empresa tem se concentrado principalmente na produção de produtos ecologicamente corretos que foram certificados e atendem às necessidades dos consumidores.

 

Impostos altos também representam um desafio para os negócios, mas Flavio tem conseguido usar táticas que fazem com que a empresa continue se desenvolvendo e ainda possa pagar pelos impostos relevantes. A empresa também recebe reconhecimento participando de eventos de patrocínio e projetos esportivos que beneficiam principalmente as comunidades ao seu redor. Impostos regionais também são impostos às empresas, e isso visa principalmente desenvolver as regiões onde as empresas estão localizadas, para que possam crescer mais. Flavio Maluf conseguiu progredir bem nos negócios graças à Eucatex.

Felipe Montoro Jens informa sobre reunião de alto nível do Banco Interamericano de Desenvolvimento

 

Em março de 2018, o Banco Interamericano de Desenvolvimento realizou uma Reunião Especial dos Governadores. Este encontro teve lugar em Mendoza, na Argentina, e alguém que se especializou em projetos de infra-estrutura, Felipe Montoro Jens estava à disposição para relatar o que foi discutido e as conclusões a que chegaram. Ele disse que um dos destaques foi Dyogo Oliveira, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, enfaticamente enfatizou que o investimento privado em projetos de infraestrutura em seu país, o Brasil, foi fundamental para a realização desses tipos de projetos. Ele enfatizou particularmente que os governos precisavam implementar mecanismos de garantia financeira para conseguir que entidades privadas investissem nesses tipos de projetos.

 

Empresário Felipe Montoro Jens.

 

Luis Caputo também participou desta reunião. Ele é ministro das finanças da Argentina. Ele também lidera o Conselho de Governadores do Banco como seu presidente. Ele concordou com Dyogo Oliveira de acordo com Felipe Montoro Jens. Ele diz que Oliveira também argumentou que a revolução da Indústria 4.0 já estava a caminho. Ele disse que é muito importante construir estradas e melhorar o saneamento na América Latina. No entanto, é igualmente importante construir uma infra-estrutura moderna, necessária para que essa revolução ocorra e faça avançar as economias desses países.

 

Felipe Montoro Jens diz que as pessoas que se encontram nesta conferência acreditam que deve haver conectividade muito melhor entre os países que compõem a América Latina. Eles devem convergir sua infraestrutura para que tudo funcione de maneira mais eficiente. Atualmente não há o suficiente sendo feito em relação a isso, que está segurando esta região do mundo de volta. Luis Alberto Moreno é o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Ele argumentou que, sem o necessário desenvolvimento de infra-estrutura, não haveria como superar os obstáculos que impedem o crescimento.

 

Eles terminaram a reunião falando sobre como as Parcerias Público-Privadas (PPPs) estão sendo usadas em todo o Brasil para construir projetos de obras públicas com bons resultados. Olhando para toda a América Latina, assim como para o Caribe, disseram que cerca de 1.000 desses projetos de PPP totalizam cerca de US $ 360 bilhões em investimentos. Leia Felipe em suas próprias palavras no Twitter.

 

Guilherme Paulus, “Empreendedor do Ano” pela IstoÉ Dinheiro, segue firme com investimentos

Quem poderia imaginar que uma pequena agência de viagens, criada na década de 70 na cidade de Santo André (SP), em pouquíssimas décadas, se tornaria a maior operadora de viagens da América Latina? Se alguém acreditou e apostou nesta ideia, este homem foi o administrador, empresário e empreendedor Guilherme Paulus. Aproveitando-se de visão aguçada para os negócios e demonstrando capacidade singular para implementação de estratégias gerenciais, o ilustre empreendedor conseguiu idealizar um plano de negócios que materializou um verdadeiro império do turismo. Atualmente, a CVC, empresa com capital aberto desde o ano de 2013, está presente em centenas de shoppings, além de ocupar diversos espaços em hipermercados e galerias espalhados pelo Brasil. O faturamento anual da empresa ultrapassa a impressionante casa dos 5 bilhões de reais. Nada mal.

O empresário Guilherme Paulus, presidente da GJP Hotels & Resorts demonstrou e tem demonstrado, ao longo dos anos, força e vigor para a realização de novos investimentos no turismo nacional. A GJP já era muito conhecida no setor hoteleiro devido aos seus hotéis de luxo localizados na famosa Serra Gaúcha. Agora, a GJP, liderada por Paulus, concentrará sua atenção na capital de São Paulo. Mais precisamente na famosa e conceituada Avenida Cidade Jardim. Este prestigiado endereço paulistano, agora terá mais uma requintada opção hoteleira para os interessados. O antigo imóvel que abrigava a famosa agência de publicidade DPZ, mais nova aquisição do grupo, será responsável pela oferta de 65 apartamentos, áreas destinadas a eventos, rooftop e restaurante. Seguindo a linha dos hotéis Saint Andrews e Wish Serrano Resort, na Serra Gaúcha, o novo empreendimento satisfará integralmente aos gostos dos clientes mais exigentes. A aquisição do imóvel que abrigará o novo hotel atesta a saúde financeira, vitalidade e dinamismo dos negócios conduzidos pelo empresário Guilherme Paulus.

A volumosa e constante contribuição de Guilherme Paulus ao turismo nacional e internacional não passou despercebida. Diversos reconhecimentos e homenagens já foram prestados ao empresário ao longo de toda sua carreira. Em dezembro de 2017, a prestigiada revista IstoÉ Dinheiro rendeu tributo ao empresário, honrando-o com o título de “Empreendedor do Ano” em serviços. Internacionalmente, seus esforços para a promoção e incentivo do turismo também lhe renderam homenagens. Além do consulado francês, diversas cidades turísticas já reconheceram seu trabalho. Dentre elas, destacam-se Cancún no México, Bariloche na Aregntina e Miami nos EUA.

A proatividade demonstrada pelas ações do administrador e empresário Guilherme Paulus tem colaborado para a consolidação de milhares de empregos no país. Na carta aberta em comemoração aos 35 anos da Fundação 25 de Janeiro, o empresário reforçou sua preocupação com a busca de inovações tecnológicas para o setor turístico e reafirmou seu inexorável otimismo com o novo ciclo da economia brasileira.

Guilherme Paulus planeja novo empreendimento divisor de águas

Como já era de se esperar, o empresário Guilherme Paulus, que vem sendo referência no segmento do Turismo brasileiro, tem mais um grande projeto em vista. Ele, que é, além de fundador e membro do Conselho da CVC Corp, também Chairman da GJP Participações, o grupo que controla a GJP Hotels & Resorts e a GJP Construtora e Incorporadora, pretende lançar uma novidade, no setor hoteleiro, entre os anos de 2020 e 2021. Trata-se da inauguração de um novo hotel de luxo, seguindo o seu padrão de qualidade já reconhecido até por premiações internacionais do ramo. No caso desse novo empreendimento, a escolha do local acabou sendo a avenida Cidade Jardim, em São Paulo capital. Mais precisamente, a saber, no antigo lugar da agência de publicidade DPZ.

Na sua atual concepção de como deve ser esse hotel, Guilherme Paulus considera construí-lo com um total de 65 apartamentos. Não parando por aí, também prevê a inclusão não apenas de rooftop, mas de espaço para eventos, além de restaurante. Quanto à questão de qual será a bandeira dessa propriedade, isso ainda está incerto. Embora digamos dessa forma, por uma mera questão de prudência, sabe-se, desde já, que há, sim, uma intenção para que esse novo empreendimento em questão leve à criação de uma nova marca no grupo GJP. E essa tal nova marca, ao que tudo indica, poderá contemplar não apenas São Paulo, mas também o Rio de Janeiro.

Dito tudo isso, podemos então tratar, com mais especificidade, a fim de curiosidade pertinente, das empresas por trás desse futuro e já grandioso empreendimento. Pois então, quando citamos, no início do texto ainda, a GJP Participações, ao nos referirmos a Guilherme Paulus como o seu atual Chairman, estávamos falando, mais a fundo, de um grupo que controla tanto a GJP Hotels & Resorts quanto a GJP Construtora e Incorporadora. E assim sendo, faz-se necessário pontuarmos o que há de mais relevante sobre a primeira, centrada em hotelaria, que é o foco desta notícia reportada pelo próprio empresário citado.

Com sua fundação datada no ano de 2005, a GJP Hotels & Resorts começou na humildade de fato, por assim dizer, visto que, diante das suas dimensões atuais, seu começo foi com um tamanho bem menor mesmo. Para se ter uma ideia, se, hoje, chegam a ser considerados como uma das maiores redes hoteleiras nacionais focadas em lazer e eventos, lá no começo de tudo, eles possuíam apenas um estabelecimento, tão somente. E essa exaltação da situação atual da rede, a alguns, pode parecer lisonjeira, mas certamente que é realista, afinal, já contam com 14 hotéis e resorts, para o orgulho de Guilherme Paulus, e, note-se, espalhados por todo o nosso país, não estando todos concentrados apenas em uma região. Essa realidade de sucesso dos seus empreendimentos, já de grande satisfação, não impede, no entanto, que eles, grupo como um todo, possuam um plano de crescimento visionário, o qual, ficamos sabendo, projeta novas unidades distribuídas entre os principais destinos turísticos de nosso Brasil, que tanto carece disso.

Crie um mix de marketing forte.

Uma vez que você realmente conhece e compreende seus mercados-alvo, o próximo passo é descobrir como melhor posicionar ou diferenciar seu produto – neste caso, você. Isso requer pensar em seus atributos para identificar os mais relevantes, reveladores e atraentes para o seu mercado-alvo. Você é o mais capaz, traz as experiências mais únicas, talvez você tenha mais motivação ou os relacionamentos mais fortes com os clientes. O que você tem que o diferencia da concorrência que seu mercado-alvo precisa ou deseja.

Seu mix de marketing, ou como a indústria cunhou os “Quatro P’s”, é a sua estratégia. Comece com seu produto ou conteúdo. Este é você, mas é você o que quer que seja para os indivíduos que você está mirando. Então, você tem que se marcar . Poderia ser você como um novo funcionário, como líder de equipe, como uma mãe comprometida.

Em seguida, o foco está no lugar – os canais e as pessoas que irão conectá-lo ao seu mercado-alvo e promover o seu produto. Se você está procurando um novo emprego, por exemplo, você pode usar um headhunter para compartilhar seu currículo ou talvez você possa aproveitar sua rede de mídia social para fazer as apresentações necessárias. Com todas as opções disponíveis hoje, certifique-se de selecionar uma boa combinação de canais que estarão disponíveis e prontamente acessíveis para o seu mercado-alvo.

O terceiro P é tudo sobre preço. Se você está procurando um novo emprego ou uma promoção , isso pode significar negociar uma expectativa salarial específica ou outras formas de remuneração, como feriados adicionais. Mas, preço também significa valor – o valor que seu produto oferece ao comprador pretendido. Aqui vai uma dica: você não precisa necessariamente ser o produto mais barato, então não deixe de apresentar uma proposta de valor que irá atrair seu mercado-alvo para investir em você.

Finalmente, há promoção. Isso exigirá de forma criativa, considerando como você vai promover o seu produto para garantir que o seu potencial cliente irá comprá-lo. Você poderia tentar vendê-lo com um argumento de elevador conciso ou falar sobre algumas características-chave, mas é provável que você não vá muito longe. Para promover seu produto efetivamente, você vai querer explicar, demonstrar, exemplificar – em essência, ensinar – ao seu comprador pretendido por que investir em você é a melhor opção para eles.